sábado, 21 de novembro de 2015

Argumentação, verdade e ser



Porque em filosofia argumentamos uns com os outros sobre questões filosóficas é natural pensar que a filosofia é um processo "adversarial" [antagónico] como dois advogados (o de acusação e o de defesa) que argumentam um contra o outro num tribunal.
Contudo, há duas razões pelas quais esta comparação dos filósofos com os advogados não é boa. Em primeiro lugar, o objectivo de cada advogado é ganhar a causa do seu cliente — quer o seu cliente esteja inocente quer não. Pelo contrário, o objectivo de dois filósofos que se encontrem a argumentar um com o outro é chegar à verdade — seja ela qual for e seja quem for que tenha razão. Como um estudante afirmou, eloquentemente, o objectivo de cada advogado é ganhar a causa, quer ele tenha a verdade quer não, ao passo que o objectivo de cada filósofo é chegar à verdade, quer ele ganhe o argumento quer não. (Sendo os filósofos seres humanos, nem sempre são assim tão imparciais, mas o ideal é este.)
Em segundo lugar, num julgamento há uma autoridade (o juiz ou o júri) que os advogados tentam persuadir, e que em última análise determina se o acusado está ou não inocente. Em filosofia, pelo contrário, não há qualquer juiz ou júri com autoridade para tornar uma posição incorrecta e a outra correcta. Só existimos nós. Claro que alguns de nós sabem mais do que outros sobre questões filosóficas, e o mais sábio é ficar atento e aprender com quem sabe mais do que nós, mas quando chega o momento de tomar decisões relativamente a um tema filosófico somos todos igualmente responsáveis pelas nossas crenças e devemos por isso tomar, cada um de nós, as suas próprias decisões.

                            Richard E. Creel, Thinking Philosophical.Trad.  Desidério Murcho



ARGUMENTAÇÃO FILOSÓFICA

ARGUMENTAÇÃO, VERDADE E SER

·         A Filosofia recorre à argumentação e à discussão racional para investigar como as coisas realmente são (o objetivo dos filósofos não é vencer os adversários fazendo prevalecer as suas opiniões a todo o custo).

·         “Dizer como as coisas realmente são” significa dizer que as nossas crenças são verdadeiras.

·         Para os gregos antigos “Ser” significa a realidade como objectivamente é.

·        A argumentação filosófica permite chegar a posições fundamentadas, avaliando criticamente as diversas respostas a um problema – procura descobrir a verdade acerca do ser.

·         Os argumentos são essenciais para a procura da verdade e não como formas de persuadir ou vencer discussões.

·         Os problemas filosóficos são conceptuais o que significa que não podem ser resolvidos através da observação e da experiência.


FILOSOFIA


·         Disciplina argumentativa

·         O papel dos argumentos é essencial

·         A filosofia é um conhecimento a priori (não recorre à observação e à experimentação)
Procede por análise conceptual e argumentação

·         A argumentação em filosofia não visa vencer uma discussão - pressupõe que há uma verdade objetiva

·         Em filosofia as proposições não são indiscutivelmente verdadeiras
(a proposição que existe uma verdade objetiva é discutida pelos filósofos originando teorias/argumentos)

Construção de argumentos como respostas aos problemas – elaboração de teorias
Construção de argumentos como defesa às objeções que lhes são colocadas
Reformulação ou substituição dos seus argumentos quando as objeções são muito fortes

Avaliação crítica dos argumentos dos outros, contra-argumentando

(adaptação Cogito)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...