domingo, 3 de janeiro de 2016

Conhecimento a posteriori e a priori



O inato e o a priori - aqui

Retire um livro retangular da sua estante e olhe para a capa. Qual é a cor predominante, e quantos lados tem? Ao responder a estas questões, o leitor fica a saber duas coisas acerca deste livro, e esses dois factos mostram uma importante distinção entre duas maneiras que temos de adquirir conhecimento.
Para ficarmos a saber a cor do livro temos que observá-lo (ou pedir a alguém que o faça por nós). A justificação para a sua crença acerca da sua cor é fornecida pela experiência (nossa ou de outrem). Mas não precisamos de olhar para um livro rectangular para sabermos quantos lados tem. Sabemos que os rectângulos têm quatro lados pelo simples facto de pensarmos o que é um rectângulo. Adquirimos este conhecimento usando apenas os nossas poderes de raciocínio; não temos de considerar a informação dada pelos nossos sentidos. O conhecimento que é justificado pela experiência é denominado conhecimento a posteriori ou conhecimento empírico. O conhecimento em que a experiência não tem um papel justificatório é denominado conhecimento a priori.



                                                                 Dan O'Brien, Introdução à Teoria do Conhecimento



Conhecimento

A posteriori

Conhecimento que só pode ser obtido recorrendo à experiência

(ex: existem cavalos brancos)


A priori

Conhecimento que pode ser obtido sem recorrer à experiência
Baseia-se apenas no pensamento

(ex: 13+15=28)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...